Resenha: Letramento: um tema em três gêneros

18/09/2013 10:14

Resumo:
    Magda Soares, professora e pesquisadora na área de linguagem e educação propõem em seu livro Letramento: um tema em três gêneros, abordar as diferentes formas de ser ver o que é alfabetização e o mais importante o que é letramento. O livro mostra as diversas formas que se podem considerar os conceitos de alfabetização e letramento, em vários contexto e ângulos.
    Sobre um tema em três gêneros, os gêneros correspondem a cada temática do livro. O primeiro como um verbete do Dicionário crítico da Educação, o segundo é um hipertexto, voltado para professores e especialistas que atuam na área educativa na alfabetização, no ensino da leitura e escrita. O terceiro é uma elaboração acadêmica, uma revisão de produção científica sobre o conceito de letramento, contribuindo com suas implicações na alfabetização. Um livro preocupado com a temática, com as intenções de se alfabetizar e letrar uma sociedade, demonstrando situações do cotidiano brasileiro, por exemplo, em que formas já foram consideradas pessoas alfabetizadas, analfabetas e letradas, onde a autora dialoga com o leitor durante livro, questionando com perguntas de cunho conscientizador.

Letramento em Verbete: O que é Letramento?
    O surgimento da palavra letramento advém como qualquer outra palavra, quando surge um novo fato, ideia ou conceito para compreender os fenômenos emergentes, precisa-se de uma nova palavra/termo ou utiliza-se de palavras antigas, dando novos sentidos a elas, assim surgiu o Letramento. Na segunda metade dos anos 80 que surge esta palavra, em discursos de especialistas na área da educação, a primeira ocorrência aparece no livro “No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística”, de Mary Kato quando diz que a língua falada culta “é consequência do letramento” (1986).
    Em outro livro, Adultos não alfabetizados: o avesso do avesso, de Leda Verdiani Tfouni distingue alfabetização de letramento, talvez seja neste livro que letramento ganha estatuto de termo técnico léxico dos campos da Educação e das Ciências Linguísticas. A partir de Mary Kato e Leda Verdiani, a palavra letramento ganha mais força em discursos (escrito e falado) de especialistas que, Ângela Kleiman (1995) em seu livro Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita levanta a hipótese de que Mary Kato cunhou o termo.
    A autora usa de exemplo, as definições do Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa para explicar: analfabetismo, analfabeto, alfabeto, letrado e iletrado. Curiosamente, a professora percebe a omissão de o termo alfabetizar esconde, alfabetizar também é escrever, sendo que no mesmo dicionário, não encontra nada sobre o letramento. Encontram apenas no Dicionário Contemporâneo da Língua Portuguesa, de Caldas Aulete (1974), o significado do letramento (antiga, antiquada) e letrar (investigar, soletrando), mas que as definições presente nele, não são as mesmas que se usa no decorrer dos tempos de hoje. Ressalta que pesquisas em dicionários, ajudam a datar os fatos e ideias, por exemplo, identificar os processos de transformação dos fatos e ideias ao longo do tempo.
    Estudos etimológicos busca o letramento na língua inglesa, Literacy que vem do latim littera (letra), com o sufixo –cy, que denota qualidade, condição, estado de ser. No Webster’s Dictionary, literacy tem acepção de condição de ser literate (educado, especialmente, capaz de ler e escrever). Enquanto o português, possuí letramento ligado ao literacy, o termo literate não contém correspondente, conservando a palavra “letrada” como versada em letras e erudito. O termo literacy é o estado ou condição que assume aquele que aprende a ler e escrever, como nota a autora remete: “a ideia de que a escrita traz consequências sociais, culturais, políticas, econômicas, cognitivas, linguísticas, quer para o grupo social em que seja introduzida, que para o indivíduo que aprende a usá-la”.
    Fazendo então o conceito do termo letramento “o resultado da ação de ensinar ou de aprender a ler e escrever: o estado ou a condição que adquire um grupo social ou um indivíduo como consequência de ter se apropriado da escrita”. Reflete ainda o fato, de a palavra analfabetismo ser mais usada do que alfabetismo, pois, é mais familiar o sentido de negação (de não saber a ler e escrever), que mesmo o sentido de alfabetismo não se afirme como alfabetizado, porque quando se tem a ideia de alfabetizado é apenas da pessoa que aprendeu a ler e a escrever, ignorando o que adquiriu o estado ou condição da apropriação da leitura e da escrita, incorporando as práticas sociais delas vindas.
        • Alfabetização: alfabetizar um indivíduo, ensinar a ler e escrever, compreender códigos e símbolos; Pesquisas, por exemplo, voltadas para o número de crianças que a escola consegue levar à aprendizagem da leitura e da escrita.
        • Letramento: letrar um indivíduo, condicionar a apropriação da escrita e da leitura em práticas sociais; Pesquisas, por exemplo, voltadas a identificar os usos e práticas sociais de leitura e escrita em determinado grupo social.
  Outro conceito de letramento, um indivíduo que não saber ler e escrever (analfabeto), mas ser de certa forma letrada, neste sentido vinculado ao termo de letramento (práticas sociais), como exemplo uma pessoa que pede a outra para escrever uma carta ou ler um anúncio de jornal, esta pessoa é considerada letrada, pois, se articula com o fenômeno que a escrita e leitura proporciona a socialização.

Letramento em texto didático: O que é letramento e alfabetização.
    Neste capitulo o texto é mais técnico, onde se discute os conceitos e palavras alfabetização e letramento, trazendo ao leitor para o campo semântico em que se inserem essas duas palavras, exemplificando com dicionários, o uso de termos técnicos e reflexões em cada sentença. Mas é o letramento que é mais explorado pela autora, fazendo de contexto histórico dessa palavra, livros que usou de referência, como o da Mary Kato No mundo da escrita uma perspectiva psicolinguística, Leda Verdiani com os livros Adultos não alfabetizados: o avesso do avesso e Alfabetização e Letramento e por final a Ângela Kleiman em Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita.
    Na busca de esclarecer o que seja letramento, a autora indaga o leitor com diversas perguntas. Perguntas como “Por que aparecem palavras novas na língua?”, ela responde da seguinte forma “Na língua sempre aparecem palavras novas quando fenômenos novos ocorrem, quando uma nova ideia, um novo fato, um novo objeto surge, são inventados, e então é necessário ter um nome para aquilo”.
   Por todo capítulo, ela responde a três questões consideradas importantíssimas:
        • Qual é o significado dessa palavra letramento? – É o estado ou condição de quem se envolve nas numerosas e variadas práticas sociais de leitura e de escrita.
        • Por que surgiu essa nova palavra, letramento? – Por aflorar um novo fenômeno, quando uma nova palavra surge na língua, é que surgiu um novo fenômeno e precisa ser nomeado.
        • Onde fomos buscar essa nova palavra, letramento? – Vem da tradução para o português da palavra inglesa literacy e literate.

 

Considerações Finais
    Falar sobre o analfabetismo no Primeiro Mundo percebe-se a diferença enorme de como é considerado um analfabeto em países como Estados Unidos, França e Inglaterra, sendo considerados qualitativamente e quantitativamente, Magda mostra as condições para o letramento de forma interessante, com passagens tão simples que é fácil à compreensão. É perceptível falhas na alfabetização no Brasil, não tanto pelas metodologias, mas por questões sociopolíticas e ideológicas da educação brasileira, pois, enquanto em países desenvolvidos a preocupação é o letramento, no Brasil a preocupação é a alfabetização.

 

Referências Bibliográfias:
SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2001

 

Seu Pensar Sobre: Resenha: Letramento: um tema em três gêneros

Resenha: Letramento:Um tema em três gêneros

Data: 19/01/2018 | De: Naira Barros Da Silva

Esclarecedora,objetiva,maravilhosa.

alfabetizaçao e letramento

Data: 11/06/2017 | De: auricelia rios

perfeito

Muito boa!

Data: 10/03/2016 | De: Jaqueline

Achei a resenha bem clara e se propõe ao objetivo de sintetizar a ideia do texto com algumas considerações do autor(a)

Re:Muito boa!

Data: 26/03/2017 | De: Fátima Torres

altamente esclarecedora, adorei.

Novo comentário